Política: Calunias…Hospital…PSDB…Campo Alegre.

Política: Calunias…Hospital…PSDB…Campo Alegre.

De novo

Cidadão chamado Júnior Guedes, que carrega contra si uma série de processos por injúria, calúnia e difamação, está de novo nas redes sociais. Atirando para todo lado contra políticos da cidade.

Ainda vai aparecer

Se o falastrão é “pau mandado” de alguém logo vai aparecer. O que não se pode é avalizar alguém que aparece de tempos em tempos apenas para atacar pessoas de bem da cidade. Se tais ataques são de cunho político, o tiro já sai pela culatra.

De novo o hospital

Jornal A Gazeta, o diário que circula na região com muita força, traz na edição desta sexta-feira (5) mais uma situação envolvendo o Hospital e Maternidade Sagrada Família. Nada que seja novidade.

Desde sempre

Há pelo menos três décadas que o Hospital parece que não consegue falar a mesma língua que autoridades políticas, sociais ou empresariais de São Bento do Sul. As únicas falas da direção dão conta que falta dinheiro e mais dinheiro. Sobre atendimento, prestação de contas e parcerias abertas com empresas locais nada.

Sair de mansinho

Ao que parece mesmo a candidatura de Antônio Tomazini para a prefeitura fica para a próxima. Gente do ninho tucano já admite buscar um plano B. Problema é que os possíveis candidatos para tal “plano B” já anunciaram informalmente que não querem.

Só médicos

Nem Tirso Humelgenn e nem Francisco Marques Neto. Ambos estão mais focados na formação dos filhos e nos projetos de família. O PSDB pode restar, mais uma vez, coadjuvante no projeto da prefeitura.

Tríplice aliança na berlinda

Se é que ela ainda existe. Em Campo Alegre não tem jeito. Os partidos que estão na aliança governista atualmente não chegam a um denominador comum. Quem quer ser candidato não tem apoio e quem tem apoio não desce do muro.

Bastião bate o pé

O vice-prefeito Sebastião Kons insiste em ser candidato a prefeito pelo Progressistas. Mas não é unanimidade. Aliás, está longe de ser. Kons não quer Raul Johanson (DEM) de candidato a vice. Por sua vez, Johanson já falou nos bastidores que se não for vice na aliança será candidato a prefeito pelo DEM.

Não se decidem

Josnei Cchaloupeck (DEM/FOTO) e Tancredo Ronska (PP) não se decidem. Estes dois têm apoio suficiente para pleitear a vaga de candidato. Mas não se decidem. Ou melhor: parece que não querem!

Enquanto isso…

…Alice Grosskopf segue firme como pré-candidata a prefeita pelo MDB. E como em anos eleitorais anteriores, o partido já se mobiliza em torno do nome dela para chegar ainda mais forte na campanha eleitoral.