SBS registrou 50 estupros contra menores em 2019

SBS registrou 50 estupros contra menores em 2019

São Bento do Sul – Um número preocupante. Os trabalhos de combate a exploração sexual infanto/juvenil se intensificam em São Bento do Sul após a triste realidade verificada no ano de 2019.

Conforme o delegado regional de Polícia Civil, Odair Sobreira Xavier, foram cinquenta casos registrados. “Fora aquelas agressões que não chegam para a polícia. A situação preocupa, e muito porque na realidade esse número é bem maior”, disse para O Jornaleiro.

Para o delegado, esses estupros registrados na cidade precisa despertar a atenção de toda comunidade, principalmente no âmbito familiar onde a maior parte dos casos aconteceu. “Entendemos que existe um número bem maior. A dificuldade é que a criança, vítima da situação degradante, fica amedrontada para relatar o acontecido. Precisamos do apoio de todos”, segue.

Sobreira participou da formação continuada de agentes da educação e da saúde em Campo Alegre tratando do assunto. Na conversa com os profissionais, deixou claro que todos são responsáveis pelo bem estar dos menores. “Temos que contar com a confiança das pessoas para aumentar essa notificação para acabarmos com a situação. Mas todos, da educação, saúde, assistência social e família, precisam estar conosco”, acrescenta.

O delegado ainda deixou claro que a Polícia Civil está à disposição para ajudar, mas que quando os casos forem descobertos, a primeira situação é informar o Conselho Tutelar que tomará as medidas para seguir à investigação preservando a integridade dos menores, vítimas das agressões. “A Polícia Civil, com certeza, está de portas abertas para atender esses casos visando o bem estar da criança. Temos inclusive uma psicóloga que trabalha conosco na Delegacia da Mulher, Idoso e menor para acompanhar esses casos. Mas, reitero, sempre que surgir a situação é preciso tomar providências”, encerra.

A Polícia Civil trabalha para garantir a integridade da criança mas também para identificar os agressores para que sejam punidos pelos crimes.

Foto: Luzardo Chaves/O Jornaleiro